Dicas da Iveco

Reajuste nas parcelas do consórcio: o que é e como funciona?

19 Aug 22
3 min

Está pensando em investir na aquisição de um bem, mas ainda tem dúvidas quanto ao reajuste nas parcelas do consórcio? Vamos ajudar você com isso agora mesmo!

O consórcio é uma modalidade de compra baseada na poupança e aquisição de bens por meio da união de pessoas. Mensalmente, há um valor que deve ser pago para a administradora e isso pode gerar algumas dúvidas. Afinal, existe reajuste nas parcelas do consórcio?

Antes de tudo, vale saber que o valor ideal da carta de crédito está relacionado com o quanto você pode pagar para adquirir o bem desejado. Então, é importante considerar que o reajuste nas parcelas do consórcio vai impactar esse valor e também a quantia paga mensalmente.

Mas, não se preocupe! Selecionamos neste texto as informações necessárias para você entender melhor como isso funciona. Confira!

Como funciona o reajuste de parcelas do consórcio?

O termo “reajuste” diz respeito a uma nova determinação, que segue um custo que sofreu alteração. Nesse sentido, o reajuste no consórcio se trata de uma atualização do valor mensal pago nas parcelas.

Isso ocorre porque os bens têm seu custo medido de acordo com as variações do mercado. Assim, para que haja equilíbrio no sistema e sejam oferecidas as mesmas condições aos consorciados, o reajuste é necessário.

Ou seja, ele é a correção do valor da carta de crédito para que não ocorra a desvalorização do montante final acumulado com o tempo. Além disso, para que o cliente não perca o poder de compra, o reajuste é feito com base no valor do bem.

Ainda, é importante lembrar que para o reajuste de parcelas do consórcio ser realizado, é necessário que haja a definição do índice em que a alteração será baseada. Isso deve ser acordado antes do contrato de adesão do consórcio ser assinado.

Quais são os índices para os reajustes?

O reajuste nas parcelas do consórcio não pode ser feito sem uma referência. Por isso, há alguns índices da economia que são muito utilizados para o acompanhamento do mercado, como:

  • IPCA: o Índice de Preços ao Consumidor Amplo, calculado pelo IBGE, é considerado o índice oficial de inflação em território nacional. É um indexador que serve para reajustar produtos e serviços;
  • INPC: o Índice Nacional de Preços ao Consumidor, que também é medido pelo IBGE, tem como objetivo medir a variação dos preços de produtos e serviços, para apresentar as oscilações no custo de vida da população.
  • INCC: este é o Índice Nacional de Custos da Construção, usado para medir o custo de residências no país. Serve tanto para construtoras, quanto para reajustes em consórcios de imóveis;
  • FIPE: a tabela FIPE já é focada em veículos, por isso, é possível consultar os preços médios dos que são vendidos no Brasil. Em alguns consórcios de veículos, pode ser usada para o reajuste de parcelas.

Por que o reajuste de parcelas do consórcio é necessário?

Embora possa parecer uma alteração negativa, o reajuste nas parcelas do consórcio é, na verdade, uma garantia de que seu investimento não será em vão, uma vez que você não corre riscos de perder o poder de compra do bem.

Então, essa atualização ocorre sobre o valor da carta de crédito e também das parcelas. No fim das contas, isso significa que, não importa quando seja contemplado, nem mesmo que o bem sofra variação de preço, você ainda poderá fazer a  aquisição.

Além disso, contratar um consórcio oferece muitas outras vantagens, como: poder de compra à vista, maior planejamento, pouca burocracia e versatilidade do uso do crédito. 

Ficou interessado? Faça uma simulação no site do Consórcio Iveco e comprove! E, caso ainda tenha dúvidas, não hesite em entrar em contato. Até a próxima! 

Por Consórcio Iveco
Somos uma empresa de consórcios, que desde 1998 oferece os melhores planos para ampliação e renovação de frotas.

Fique por dentro de nossas novidades!